Polêmica: Projeto de vereador para fornecimento de uniformes escolares é rejeitado; Executivo anuncia a iniciativa poucas horas antes da votação

O Diário Campo Belo primando pelo compromisso com você  (Leitor) foi atrás dos personagens envolvidos em uma matéria legislativa que gerou polêmica nas redes sociais. No dia 16 de Novembro de 2021, ocorreu na cidade de Campo Belo/MG, várias discussões referente a um projeto onde o objetivo seria obrigar a prefeitura da cidade a fornecer de forma gratuita os uniformes escolares para alunos da rede pública municipal de ensino, todos os anos. Segundo o vereador  Gustavo Protasio, independente do prefeito que estivesse a frente da prefeitura seria obrigado a fornecer os uniformes gratuitamente. “Portanto como a matéria foi rejeitada e arquivada, nenhum prefeito agora ou futuramente terá a obrigação ou o compromisso de fornecer os uniformes sem nenhum custo aos alunos da rede pública municipal de ensino”, explicou o parlamentar . Gustavo conversou com o DCB e respondeu questionamentos.

Como foi a votação?

O projeto foi rejeitado por cinco(5) votos contrários dos Vereadores Wilsinho do Café, Maruzam, Thales Camilo, Alessandra Mara e João Eduardo. Quatro(4) Vereadores votaram a favor, sendo eles Gustavo Protásio que é autor do PL, Clesio Reis, Bruna Lorrane e Mark Rodarte. Três(3) Vereadores sendo eles, Robsson Massote, Luciano Alvarenga e Beto Santana se abstiveram do voto e outros três(3) Barão, Tchuca e Tuca estavam ausentes na reunião.

O Diário Campo Belo procurou o Vereador Gustavo Protásio para sabermos mais sobre este empasse.

Vereador, você sabia da intenção do executivo de ceder os uniformes, iniciativa lançada horas antes da votação da proposição?

“Desde 01 de janeiro de 2020 enquanto estou como Vereador, nunca vi ou ouvi qualquer sinalização do Executivo em projeto para fornecer uniformes para alunos. Portanto, nunca existiu na Câmara Municipal qualquer projeto desta natureza. Esse projeto foi inédito e único. Vale ressaltar que a Prefeitura agiu de politicagem e por eu não ser um Vereador da base, lançaram um vídeo no dia da votação dizendo que irão fornecer a partir de 2022 os uniformes. Mas esse vídeo foi apenas para desarticular o meu projeto e tirar o protagonismo da intenção. O fato mais grave é que, o que a prefeitura está fazendo não tem nenhum respaldo em lei ou obrigatoriedade e se o próximo prefeito eleito não quiser continuar doando os uniformes ele não poderá ser questionado por isso, pois a lei que tornaria esse ato obrigatório foi rejeitada e arquivada na terça-feira dia 16 de novembro em reunião ordinária histórica e marcado para o povo. Mas, continuarei trabalhando de forma muito verdadeira e pela população”.
Disse, Gustavo Protásio Vereador.

A Prefeitura Municipal de Campo Belo, por meio da Secretária Municipal de Educação, Rosana Junqueira, divulgou um vídeo nas redes sociais horas antes da discussão do projeto na Câmara Municipal, que a partir do próximo ano fornecerá uniformes gratuitos aos alunos da rede municipal. Segundo a secretária, o projeto estava sendo planejado desde 2020, e não concretizaram devido a pandemia. Afirma ainda, que a partir de 2022 todos os alunos receberão uniforme escolar.

Diante disso, a população também se manifestou nas redes sociais sobre este projeto que trás benfeitorias para os alunos da rede municipal.

“O problema deste projeto da atual gestão é que ele é um projeto de governo e não um projeto perene.
A próxima gestão pode muito bem revogar este projeto.
Pelo que entendo, como não houve a aprovação da indicação do vereador Gustavo Protásio, que era projeto de lei, daqui três anos voltamos a estaca zero por pura vaidade e ego”!, disse Héverton Guedes.

Outra leitora, também nos falou que comprou os uniformes no dia que as aulas voltaram e que viu nas redes sociais o Vereador Gustavo Protásio colocaria um projeto em votação em que os uniformes seriam doados. Ela entrou em contato com a direção da escola e informaram a mesma que vão retornar a ligação assim que a diretora fosse informada sobre o assunto.
“Até agora ninguém me ligou e me procurou para me entregar o dinheiro. Mas nem sei se vão ligar”, comentou Nayara Dias.

“O que nos estranha é que se o projeto já está com o executivo, porque a Secretaria de Educação permitiu a venda desses uniformes para essa mãe?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!