Esportes: Ninguém quer ganhar

Se antes era comum ver alguns times jogando futebol para vencer o Brasileiro, a realidade da série A e B – demonstra o oposto disso.

Por: Athos Oliveira (Estudante de Jornalismo)

Chegamos à reta final da Série A e B. e o que pode ser notado, em ambas as competições?. Claro, a instabilidade. Ambos os torneios estão deixando os torcedores sem entender o que de fato, querem os clubes que estão nas primeiras posições.
Na Série A, quando foi dado o início, falava-se na possibilidade de Atlético, Flamengo, Corinthians e Palmeiras serem campeões brasileiros. Passando um pouco mais de tempo, Flamengo e Atlético eram os favoritos, e quem assumiu a liderança pouco tempo depois, foi o São Paulo. Quando o time paulista, assumiu muitos pensaram que o Flamengo ou o São Paulo ganhariam o título, e quem assumiu a liderança da competição foi o Internacional.
Na Série B, a Chapecoense durante a maior parte do campeonato era colocada como a principal aposta pelo título, por estar bem a frente no número de pontos, mas pelo incrível aproveitamento da defesa que levou apenas 5 gols, em mais de 19 jogos. Um feito incrível, que poderia afirmar com toda a certeza que a Chapecoense seria a campeã, mas o América conseguiu, ora sim, ora não, a liderança da segunda divisão. Ou seja, se o América estivesse totalmente voltado para a série B, sem se preocupar com a Copa do Brasil, poderia ter conseguido ser campeão antecipadamente, como poderia também perder jogadores importantes e não ter conseguido nem sequer estar no G4. Mas o que justifica, os favoritos deixarem a liderança escapar tão fácil assim?
Em duas hipóteses, podemos destacar a falta da presença do torcedor no estádio. Quando fiz a live com o jornalista Paulo Azeredo, ele destacou uma situação que poderia ter acontecido em um dos jogos do Atlético, que ainda briga pelo título. No primeiro turno, O Galo perdia para o Corinthians por 2 a 0, no primeiro tempo, e na volta fez 3 gols em menos de 15 minutos, e o resultado acabou 3 a 2 para o time mineiro. Se tivesse público, poderiam começar a protestar e pedir a saída de algum jogador do time e desestabilizar o jogador na partida, fazendo ele errar mais e dar a vitória ao adversário.
Outro ponto importante a ser mencionado, é o fato de que os clubes estão contratando pouco, e por isso as equipes ficam sendo mais conhecidas dentro de campo. Ambas explicam muito bem a falta de estabilidade das equipes, que não conseguem fazer com que o torcedor, tenha confiança, onde o seu time do coração pode chegar. Uma hora a briga é em cima, e outra hora o time está por baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!