Operação “antigatos” da Cemig se concentrará em Campo Belo e em mais 8 cidades

A Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) continua intensificando mutirões de cortes por inadimplência no Sul de Minas, com o intuito de coibir os atrasos no pagamento das faturas de energia e recuperar R$ 400 milhões em receita. Além disso, a empresa também está atuando contra os consumidores que insistem em praticar furto de energia – popularmente conhecido como “gato”. Nesta etapa, as ações na Região Sul estarão concentradas em Campo Belo, Lavras, Varginha, Pouso Alegre, Itajubá, Alfenas, São Lourenço, Três Corações, e Boa Esperança. O corte por inadimplência é feito quando o cliente possui débitos com a companhia.

Após 15 dias de atraso no pagamento da fatura, a ordem de corte do fornecimento já é emitida. A Cemig realiza aviso prévio ao corte, que geralmente chega na própria fatura de energia. Para evitar o corte da energia, a Cemig adota várias medidas para avisar ao cliente: envio de e-mail, mensagem de texto via celular (SMS), notificação por meio de carta, negativação e cobrança via contato telefônico.

Com o objetivo de reduzir a inadimplência, a Cemig está ampliando os canais de negociação e facilitando o pagamento das faturas em atraso. Os clientes com débitos junto à companhia podem realizar o parcelamento por meio do Cemig Atende no site da companhia, disponível em cemig.com.br.

Além disso, as negociações podem ser feitas por meio do número telefônico 0800 721 7003, exclusivo para negociação de débitos, disponível de 9h às 21h, de segunda a sexta-feira, e de 9h às 15h aos sábados. Outra opção é de forma presencial em uma das agências de atendimento ou Postos Cemig Fácil. No caso das irregularidades, os equipamentos suspeitos são retirados e levados para perícia no laboratório da companhia.

A Cemig já recuperou cerca de R$ 48 milhões em receita operacional desde o início desse trabalho de mutirões, em 2017. De acordo com o superintendente de Gestão da Receita da Distribuição da Cemig, Helton Diniz Ferreira, a tarifa dos consumidores mineiros poderia ser até 5% mais barata se não houvesse ligações irregulares e clandestinas na área de concessão da Cemig. Por isso, a companhia investe em operações e possui, ainda, um centro de inteligência que acompanha o consumo em tempo real de todos os seus clientes.

 Helton Diniz ressalta que essa fraude acontece em todas as classes sociais e precisa ser combatida exaustivamente para conscientizar a sociedade: “É uma questão de cultura e estamos combatendo isso. O prejuízo é rateado entre a Cemig e todos os consumidores adimplentes, diminuindo os ganhos da distribuidora e encarecendo a tarifa para aqueles que usam a energia de maneira honesta”.

Fonte: Jornal de Lavras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!