A vida dedicada ao Esporte e à Cultura. Conheça o Daniel Alvarenga, símbolo de grandes feitos em Campo Belo.

Por: Athos Oliveira

Uma vida totalmente voltada para o esporte e à cultura. Esse é o Daniel Alvarenga de Oliveira,  professor de Educação Física a 25 anos, sendo 20 anos desde a sua formação. Um coleção em sua casa de medalhas e troféus que representam todo o empenho em ajudar atletas a serem grandes profissionais não só na cidade como em outros lugares pelo país e pelo mundo. Isso sem contar que na parte Cultural também teve os seus feitos como o professor que está sempre pensando no desenvolvimento dos projetos sociais, com o intuito de levar muitos a conseguirem seu espaço e promovendo a cidadania de seus alunos.

Entre as formações envolvendo as duas áreas, profissional de Educação Física, formado na Fagam em 2001, sendo pós-graduado pela Universidade Federal de São João Del Rei, pela Unilagos e também pela Universidade Federal de Juiz de Fora, além de esporte de alto rendimento e também de esportes para pessoas especiais.  Daniel ainda trabalhou por 13 anos como professor de Educação Física e teve passagens pelas escolas estaduais e municipais da cidade.   Com o tempo nas Apaes, Daniel ainda fez cursos relacionados ao artesanato, a dança e artes cênicas.

Daniel começou sendo atleta de vôlei, sem ter como objetivo participar de competições, e ao trabalhar depois no Hotel Fazenda,  recebeu um convite de dois professores de Educação Física para ser secretário do Sesi  de Campo Belo.  Neste trabalho Daniel passou a conhecer mais sobre o esporte. Pouco tempo depois, ele já havia se tornado um ajudante dos professores nas práticas esportivas, sendo necessário apenas um ano, para ser professor, no que recebeu o convite da então gerente do Sesi Sueli Rodarte, para ser professor de vôlei e também natação.

Sendo assim a própria gerente, foi quem fez a inscrição para que Daniel fizesse Educação Física, sendo que ele mesmo afirma que gostava mais das áreas de turismo e Jornalismo até então.  Daniel fez Educação Física na Fagamom em Lavras, e fez pós graduação em São João del Rei, Rio de Janeiro e Juiz de Fora.

Na parte cultural Daniel já foi professor de dança moderna nas Apaes, conquistando o título mineiro e ficando em 12° na competição nacional, em uma disputa com 25 estados, com a apresentação sendo em Santa Catarina, no Beto Carrero World.  Daniel hoje possui projetos sociais, e entre estes um de voluntário para crianças carentes de atletismo, conhecido como “ Amigos do esporte, craques do futuro” com meninos de vários bairros da cidade. Ele relata que conta com apoiadores que ajudam com as inscrições para as crianças e também com uniformes, além de contar também com apoio de vereadores e também da prefeitura do Dr Alisson e do vice-prefeito Adalberto Lopes, que apoiam com transporte e alimentação.

Vários alunos do Daniel hoje estão fora do país, no que ele fala que a disciplina destes tiveram uma significativa importância para alcançar grandes objetivos na vida.   O professor relata que está satisfeito com o trabalho feito pelos vereadores atuais, e com o progresso da cidade. Além disso, destaca o fato do prefeito Alisson ter tido uma grande ligação com o esporte no passado. “ O apoio ao esporte melhorou muito, tanto que hoje o futebol, o vôlei, a natação e o atletismo começaram a ter um auge” destaca Daniel. No ano de 2019, Daniel coordenou uma equipe de natação que disputou a competição do “Rei e Rainha do Mar”, que é uma competição internacional. Além disso já conseguiu vários troféus em competições regionais e também estaduais.

Com tamanha dedicação Daniel recebeu duas moções da Câmara Municipal, uma com o empenho dado aos atletas campobelenses e outro com os trabalhos desenvolvidos na APAE da cidade. Nenhum outro no município conseguiu tal feito de conseguir duas moções, o que orgulha muito o profissional.

Fotos cedidas pelo Daniel

Segundo Daniel, uma coisa que precisa ser pensada atualmente é ajudar as pessoas com deficiência que querem praticar algum esporte, e disse, destacando os grandes resultados das paralimpíadas nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Desta relação de amor pelo esporte, Daniel pondera “ Não fui eu que ajudei o esporte, foi o esporte que contribuiu para a minha formação”. Campo Belo segundo o Professor de Educação Física é um celeiro de grandes atletas e o que conta que  muitos estão escondidos  em periferias da cidade. Ele também diz que deve muito agradecimento aos pais dos atletas que durante todo este tempo, confiaram em seu trabalho, e que acreditam que o esporte é o que modifica uma sociedade.

Além dos projetos sociais, Daniel também esteve fazendo doação de sangue, onde pediu a população para aqueles que pudessem, estarem presentes em Divinópolis onde alguns campobelenses estiveram para fazer o ato solidário. No próximo dia 25, acontecerá sorteios de brindes  para ajudar pessoas neste tempo de pandemia, com a contribuição de comerciantes, empresários empreendedores e amigos.

Outro ponto positivo segundo Daniel é a receptividade que Campo Belo tem nas competições de fora da cidade, sempre sendo lembrado por uma terra de pessoas de bem e sempre acolhedoras. “ Não pretendo sair da cidade, mas sempre chega uma oportunidade de um estudo maior ou de estar em um clube grande, mas eu não posso parar os projetos que comecei, com crianças de vulnerabilidade social. A gente tem que dar apoio pra eles, tem que estar ajudando, e o esporte abre horizontes para essas crianças” conta o Professor que está há 21 anos dando aulas de natação na Praça de Esportes.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!