Campo Belo: Vítimas de espancamentos não resistem aos ferimentos

Dr. José Rubens disse que já iniciou as investigações e, a principio, os dois casos serão tratados como homicídio doloso consumado.

Os dois homens que foram espancados em Campo Belo, em dias e locais distintos, não resistiram aos ferimentos e faleceram nesta quarta-feira (18/03), segundo confirmações do delegado José Rubens Nogueira Neto. Junio Marcelino (Juninho Catatau), de 30 anos, foi agredido no domingo, dia 15. As agressões a Giovanni Morais Resende de 26 anos foram na terça-feira, dia 17 de março, no bairro Eldorado, ambas em Campo Belo. Giovanni residia à Rua José Pereira de Melo. Ele chegou a ser transferido para Oliveira (MG). A polícia civil já instaurou inquérito para apurar ambos os casos. “A princípio, os dois casos serão tratados como homicídio doloso consumado”, declarou dr José Rubens, que já iniciou as investigações.

O corpo de Junio será velado na capela da São João e o horário ainda não foi definido. Já Giovanni será sepultado nesta quarta-feira, às 15 horas, segundo a Funerária Campo Belo.

Catatau, de acordo com a polícia, foi agredido com socos e também a pauladas na Rua Guarani, São Benedito. Ele estava internado, inconsciente, na Santa Casa de Campo Belo desde domingo.

Ainda segundo o delegado, Giovani foi vítima de agressão no bairro Eldorado. Ele foi socorrido pela equipe do Samu, encaminhado à UPA e depois transferido para Oliveira. O corpo de ambos passaram por necropsia no IML de Campo Belo.

A respeito os últimos crimes, que vitimaram os moradores de Campo Belo, dr. José Rubens falou sobre as investigações. “Foram dois espancamentos. O primeiro registrado no domingo, dia 15, e a vítima identificada como Junio Marcelino (Catatau). Ele foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu nesta quarta em Campo Belo. Giovani, espancado na terça, faleceu em Oliveira. Os inquéritos policiais competentes foram instalados. Em breve daremos uma resposta à sociedade”, garantiu o delegado.

Ele lembrou como a população pode contribuir com o trabalho da polícia. “Vale ressaltar que a colaboração da população é fundamental para o sucesso da nossa empreitada, através de denúncias anônimas pelo 181 ou 197 da Polícia Civil”, reforçou o delegado de polícia.

Confiram abaixo os links das reportagens sobre as agressões. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!