Campobelense, ex-lateral Gustavo, fala sobre as conquistas em seus 30 anos de carreira

Por: Athos Sena (estudante de jornalismo)

15 anos de carreira e títulos nos grandes clubes, e neste ano de 2019 está completando 30 anos desde o começo no futebol. Essa é a história do lateral direito Gustavo Rodrigues Ferreira, natural de Campo Belo, que teve passagens por 12 clubes, entre eles os já tradicionais, Cruzeiro, Palmeiras, Internacional e Botafogo.

Ele disputou mais de 500 partidas como jogador profissional, atuando em 10 campeonatos brasileiros e grandes títulos. No currículo há relevantes conquistas como a Copa Centro-Oeste (atual Primeira Liga, onde está na disputa times do sul e sudeste do Brasil), o campeonato mineiro e a Recopa Sul-Americana pelo Cruzeiro em cima do River . O torneio de juniores de São Paulo no Guarani de Campinas, o campeonato da taça Guanabara pelo Botafogo e o campeonato Gaúcho pelo Internacional foram outros títulos de sua carreira. Além disso, a conquista do Campeonato Brasileiro pelo Palmeiras que era treinado por Vanderlei Luxemburgo, e que tinha Cafú e Rivaldo no elenco.

O lateral também teve passagens pelo Sparta de Campo Belo (sua cidade natal) que jogava a série B do brasileiro na década de 80, Flamengo, Portuguesa SP, Tenerife (ESP), São Raimundo (AM) e América (MG), onde encerrou a sua carreira em 2003, aos 31 anos. Entre os treinadores dos clubes em que já jogou, não apenas com Vanderlei, como também por Levir Culpi, Joel Santana e Celso Roth.

Gustavo comemora 30 anos de carreira ao lado da família. (Foto: Arquivo Pessoal)

Gustavo se diz muito realizado em sua carreira. “As dificuldades sempre foram grandes, porém foram superadas com muito trabalho. A vida sempre nos apresenta obstáculos, onde temos que ter perseverança, trabalho e fé. Tenho orgulho de ser campobelense e ter levado o nome da cidade juntamente com minha carreira”, diz o ex-lateral direito, que por fim agradece a sua esposa Iara Monteiro Massote e sua filha Maitê Massote Ferreira.

Ao ser perguntado qual era o seu ídolo e inspiração para se tornar um bom atleta no esporte dentro das quatro linhas, ele afirma. “Eu sempre me inspirei muito na carreira do Zico” disse o ex-jogador, que no começo queria ser meia direita.

Ele também destacou o lateral Jorginho que foi campeão da copa do mundo pela seleção brasileira em 1994 e atualmente técnico de futebol e Cafu também campeão Mundial em 2002 e um dos atletas que mais vestiu a camisa da seleção canarinho, que atuavam na posição em que se firmou.

O jogo memorável para ele, foi em 1992, quando o Guarani venceu o Palmeiras por 5×2, e ele fez uma partida despertando o interesse do time palestrino em sua contratação . A diferença segundo o ex-lateral, do futebol da década de 80 para o futebol atual , é que os times tinham mais posse de bola, elencos fortes, e o lado técnico das equipes era algo mais trabalhado do que a parte física. -Hoje o futebol se prima mais a parte física e ganhou mais velocidade dos atletas, mas a minha preferencia se dá por um futebol mais técnico e mais cadenciado, pois fica sendo um jogo mais bonito de se ver, relata o ex-jogador.

Athos Sena é campobelense, estuda jornalismo no interior de São Paulo (4º – Período) e com exclusividade produz matérias jornalísticas para o DCB. Com o lateral Gustavo, com completa 30 anos de carreira, Athos inicia a série de trabalhos para o site. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!