Campo Belo: SMS confirma o primeira morte por de H1N1; um homem de 57 anos também faleceu, mas ainda não consta na estatística

A Prefeitura de Campo Belo (MG) confirmou, na quinta-feira (23/05), a morte de um homem de 54 anos de idade vítima do vírus da gripe H1N1. Este é o primeiro caso desta enfermidade no Sul de Minas este ano, considerando o último boletim do Estado. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, outros três pacientes com suspeita da doença estão em tratamento na cidade, entre eles uma criança.Um pedreiro de 57 anos também morreu na segunda-feira (20/05).

Segundo familiares, ele estava internado há 8 dias na UTI da Santa Casa da cidade (com sintomas de gripe) e, no dia seguinte ao óbito, eles receberam uma ligação de responsáveis pelo hospital orientando todos os membros da família que tiveram contato com o mesmo a se vacinarem. O pedreiro procurou a UPA com um quadro gripal, mas, segundo o irmão, a dificuldade respiratória aumentou e ele foi transferido para a Santa Casa. Mas o caso do pedreiro de 57 anos não foi contabilizado na coletiva de imprensa.

O secretário municipal de Saúde, José Assunção, explicou que, no caso fatal (do homem de 54 anos), o paciente sofria de outras doenças, como hipertensão e diabetes, que fizeram com que agravasse o quadro dele (este caso é do homem de 54 anos). A morte ocorreu de sábado para domingo, mas o exame feito pelo Estado para confirmar o diagnóstico chegou ao município na segunda-feira (20/05).

Já no caso do pedreiro de 57 anos internado há 8 dias, a responsável pelo setor de vacinas, disse que não tem confirmação sobre a causa morte. O material coletado de pacientes com suspeita de gripe suína vai para a FUNED e leva alguns dias para a confirmação do resultado. Mas, Percília Aparecida Santana Alvarenga adiantou que em casos de suspeita, o bloqueio vacinal é sugerido à pessoas que tiveram contato com a vítima.

Morte

A vítima contabilizada pela SMS estava internada na UTI da Santa Casa de Campo Belo (Foto: diariocampobelo)

Continua depois da publicidade

Segundo Assunção, o homem estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) da cidade, já recebendo tratamento para H1N1 por conta dos sintomas apresentados. Com a confirmação, a família e pessoas próximas que tiveram contato com o paciente passaram pelo bloqueio vacinal, recebendo a imunização preventivamente.
Na UPA de Campo Belo todos estão usando máscaras e é recomendado que evitem procurar a unidade neste período.

Casos suspeitos

Em relação aos três casos que estão sob investigação, os pacientes adultos ficaram em isolamento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) local, mas, segundo o secretário, foram transferidos para o CTI na tarde de quinta. Já a criança foi transferida para Lavras. A Prefeitura aguarda o envio de material do estado para a realização do exame para comprovar o diagnóstico.

Primeiro caso na região

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, o último boletim epidemiológico da gripe foi divulgado em 17 de maio e, na ocasião, não havia nenhum caso confirmado do Sul de Minas ainda. No informativo, constavam 36 casos em todo o estado, e uma morte em Belo Horizonte. Segundo a pasta, até o final da tarde de sexta-feira (24) será divulgado novo boletim com as atualizações.

Vacinação

O secretário de Saúde alerta a população que faz parte dos grupo indicados para a vacinação para procurarem as unidades de saúde para receber a dose. De acordo com ele, o índice de vacinação nesses grupos está em 73%, quando o indicado é ter pelo menos 95%.

Assunção explica que a confirmação do caso não fará com que a campanha seja estendida para toda a população. A imunização continua voltada para os grupos de risco e, ao final da campanha, caso haja doses remanescentes, serão abertas para o restante da população.

Quem deve tomar a vacina?

Conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), as vacinas oferecidas gratuitamente pelo governo são destinadas a:

►Crianças de 6 meses a 5 anos de idade;

►Gestantes;

►Puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias;

►Idosos;

►Profissionais de saúde, professores da rede pública ou privada, portadores de doenças crônicas, povos indígenas e pessoas privadas de liberdade;

►Portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo) que fazem acompanhamento pelo SUS.

Em 2016, Campo Belo vivenciou momentos de pânico com relação a contaminação por H1N1. Alguns casos foram fatais. 

http:http://198.50.222.142/novo/index.php/2016/04/12/primeiro-caso-confirmado-de-h1n1-em-campo-belo-mg/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!